Veja vídeo: Ministro diz que Minha Casa, Minha Vida em Quixadá não pode ser utilizado para politicagem

por | Destaques, Notícias, Política

quixada-politica

1454 casas estão sendo concluídas e deverão ser entregues a famílias de baixa renda em Quixadá.

O programa Minha Casa, Minha Vida que irá beneficiar 1454 famílias em Quixadá, através da casa própria, está no alvo de interferência do prefeito Ilário Marques(PT).

Segundo o prefeito todos os cadastros deverão ser invalidados. Com isso todas as famílias cadastradas poderão perder suas casas.

O programa Minha Casa, Minha Vida é realizado pelo Ministério das Cidades, no Ceará em parceria com a Secretaria das Cidades, e com as prefeituras. Em Quixadá o programa tem 85% de seus recursos bancado pelo governo federal, e os outros 15% pelo governo do estado.

No município de Quixadá a adesão ao Minha Casa, Minha Vida ocorreu na gestão do ex-prefeito Rômulo Carneiro.

De acordo com técnicos da prefeitura de Quixadá, todos os trâmites, no que se refere ao preenchimento de cada um dos 1454 cadastros, foram realizados dentro dos critérios exigidos pelo Ministério das Cidades, e foram aprovados pela Secretaria das Cidades do governo do estado.

“Tivemos inclusive várias reuniões com o governador Camilo Santana, que era secretário das cidades na época” exclamou um dos técnicos que participaram da execução dos cadastros.

Na época a prefeitura teve que cumprir todas as portarias exigidas pelo Ministério das Cidades, “foi um trabalho duradouro e muito árduo” disse um dos assistentes sociais.

Ainda segundo os assistentes sociais, todos os cadastros foram submetido a um Conselho Gestor de Habitação formado por pessoas ligadas a sociedade civil como IFCE, CREA, Igrejas, dentre outras.

De acordo com os técnicos, todos os pré-selecionados tiveram seus documentos encaminhados para o Banco do Brasil, que é órgão financiador, para validação.

“O prefeito assumiu no dia 01 de janeiro, no dia 03 já anunciou que os todos os 1454 cadastros estariam invalidados, é impossível  que ele, ou mesmo a equipe formada pelo novo gestor, tenham realizado uma vistoria em cada um dos cadastros nesse tempo, e a gente gostaria que ele mostrasse onde estão os erros.” disse um dos técnicos.

Importante lembrar que cada família deverá arcar com uma parte do custo de seu imóvel, portanto existe uma participação financeira do beneficiário.

Os beneficiários do programa disseram que caso o prefeito interfira no cadastro eles irão se manifestar para que não sejam prejudicados.

O Ministro das Cidades, Bruno Araújo, disse, em vídeo no qual o Monólitos Post teve acesso relatando sobre a questão do Minha Casa, Minha Vida em Quixadá, que o programa não deve ter interferência política, e que não pertence a prefeito, e nem de qualquer outro político.

O ministro pede ainda para que as pessoas sejam vigilantes e adverte que o programa não pode ser utilizado de forma politiqueira, e que serve a sociedade.

O ministro disse ainda que, em 2017 o governo federal deverá iniciar a construção de casas na zona rural em Quixadá.

Assista o vídeo:

loading...



Comentários

Os comentários abaixo não representam a opinião do Monólitos Post; a responsabilidade é do autor da mensagem.
  1. Ilário não faça isso, não tire as casas de quem precisa, isso é muita falta de amor ao próximo e Deus no coração. A grande maioria dessas famílias passam necessidade.

  2. …E ver realmente os trabalhos concluídos. Agora, ficar especulando ou querendo fazer politicagem com matéria fajuta perde sua credibilidade (monolistospost).

  3. Alguém desse jornal deve tá com medo de sair dá relação, heimmm!!! Vamos deixar para os mais necessitados, senhores. Ou o gestor quer todas as casas pra ele? Claro que não, otimizar uma lista que saio de uma gestão fraudulenta, é bem racional. Depois dá revisão e entregue às casa, é só ir verificar os moradores. Cabe a nós fiscalizar

  4. O que Ilário Marqeus quer é apenas uma coisa: Certificar-se de que as pessoas que estão na lista são as que realmente não tem casa própria.

Deixe seu comentário

Os comentários do site MonólitosPOST tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.