Concurso de Quixadá: No circo montado na casa do prefeito, os concursados foram feitos de palhaços

- por
  • Compartilhe:

Erraram, você e os quixadaenses que acreditaram em um projeto para o município? Não! Erra quem acredita na própria mentira. Mas, não adianta só mentir, tem que ludibriar também, limpar a casa, oferecer um bom banquete para receber os convidados especiais, que, bem depois do final da festa, descobriram que ali, naquela noite do dia 22 de fevereiro, foi armado um picadeiro, onde o dono do circo sabia muito bem quem seriam os palhaços.

Falo da atitude fria e calculista do chefe do Executivo municipal, que só foi revelada pelo Monólitos Post, no domingo (17), quando da veiculação de uma matéria, informando que o prefeito enganou os concursados, dando um jantar de boas-vindas, no dia 22 de fevereiro, aos professores aprovados e empossados, mesmo depois de ter dado entrada, no primeiro dia do mesmo mês, em um recurso para anular a decisão que validou o concurso por ele anulado.

Mas, não para por aí. Em nota, a Prefeitura, persiste na estratégia de tentar enganar os concursados já empossados e aos que, ainda, esperam o chamamento público, informando que é obrigada a recorrer da sentença do juiz de primeiro grau, que deu ganho de causa aos aprovados e ao Ministério Público do Estado do Ceará, validando o concurso realizado por João da Sapataria.

Quando a justiça determinou a homologação do certame, o prefeito interino, João Paulo de Menezes Furtado, já havia informado que não iria recorrer ao Tribunal de Justiça, ou seja, a Prefeitura pode desistir de dar continuidade ao processo, evitando, inclusive, maiores gastos, entretanto o pensamento da administração petista, comanda por Ilário Marques, sempre foi o de aniquilar o concurso público. Ele mesmo já havia informado que iria até a última instância para dar fim aos sonhos dos concursados. Se havia quem duvidasse, agora, penso, que não há mais.

O cenário com palco armado, lona levantada, com a presença do dono do circo e as pessoas que ele fez de palhaço é só mais um capítulo da saga vivida pelos concursados. Essa história poderá durar até o fim do mandato do atual prefeito, isso se ele conseguir cumpri-lo sem uma nova intervenção da justiça, afinal de contas, o prefeito tem participado muito mais de audiências do que inaugurado obras.

Há um outro detalhe que foi omitido na nota veiculada pela Prefeitura, uma contradição implícita: Todo o drama vivido pelos concursados foi iniciado pelo gestor. Não foi ele que, em seu primeiro ato, ao assumir o Executivo, em janeiro de 2017, anulou o concurso? A quem quer enganar, petista?

Depois de passado quase um mês do circo montado na casa do prefeito, hoje, em um mundo onde a informação está na palma das mãos, os concursados e quixadaenses conseguem perceber que a mitomania vivida por Marques, só convence os seus aliados e amigos. É preciso ir além e perceber, também, que esta mesma mitomania foi responsável por fazer muita gente acreditar que o petista era um bom administrador, mas, felizmente, os meios de comunicação têm mostrado que isso é história de quem vive fechado em um picadeiro, onde o dono do circo determina o que quer ouvir.

 

 

 


IMG_8867

Por Franzé Cavalcante – Jornalista
E-mail: monolitosquixada@gmail.com




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.