Cidadã protocola pedido de impeachment do prefeito de Quixadá na Câmara Municipal

- por
  • Compartilhe:

Uma cidadã quixadaense deu entrada no pedido de impeachment do prefeito de Quixadá, Ilário Marques (PT), na Câmara Municipal. O pedido foi protocolado na manhã desta quarta-feira (8).

A senhora Ivana Maria Lopes, responsável pelo pedido, justificou ao Legislativo que “notícias que se encontram em mídias e a constatação de investigações já são suficientes para arrimar o pedido de cassação, haja vista que existe uma forte ruptura de paradigmas do decoro ínsito ao cargo de prefeito, pessoa que gere e tutela a ordem pública e interesses sociais de Quixadá”, argumentou.

A peça de impeachment cita as últimas atuações do Ministério Público na Terra dos Monólitos, as operações “Fiel da Balança” e “Casa de Palha”, uma responsável pelo afastamento do prefeito e de secretários de governo e a outra pela prisão do genro do alcaide, bem como pelo encarceramento e afastamento do presidente da Câmara, Ivan Construções (PT).

O documento cita ainda a total omissão do chefe do Executivo com a caótica situação do hospital Municipal. “Ora, a total omissão repousa sobre o hospital Eudásio Barroso que, conforme mídia apresentada pelo CETV, que adentrou os espaços do referido hospital, o mesmo, há anos não tem a devida atenção da prefeitura, sendo que, com o atual prefeito, nada, desde o ano de 2017, foi procedido de melhorias para restaurar e conservar esse equipamento público de relevante utilidade para centenas de quixadaense”.

Mais a frente, a senhora, enfatiza o seu pedido, tendo como base o Decreto Lei n° 201, que enumera em seu artigo quarto as infrações político-administrativas dos Prefeitos Municipais sujeitas ao julgamento pela Câmara dos Vereadores e sancionadas com a cassação do mandato, das quais duas delas foram cometidas pelo prefeito de Quixadá. “Omitir-se ou negligenciar na defesa de bens, rendas, direitos ou interesses do Município sujeito à administração da Prefeitura” e “Proceder de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo”, de a acordo com os incisos VIII e X, respectivamente.

O documento cita ainda casos de imoralidades cometidos pelo prefeito, como a nomeação da filha, Maíra Marques, como secretária de Administração e também do genro, “Neto Dias”, como diretor executivo do Consórcio Público de Saúde do Sertão Central. Os dois fatos são vedados pela súmula vinculante de número 13 do Supremo Tribunal Federal.

O pedido deverá ser analisado pelos vereadores nas próximas sessões da Câmara. Esta é a segunda vez que a população pede que Ilário Marques seja “impeachmado”. Na primeira vez, os vereadores da base do petista disseram não aos argumentos da população. Desta vez, dirão não a quem sofre a precária situação do Eudasio Barroso?

Confira abaixo o documento protocolado no legislativo quixadaense.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.