Ministério Público cumpre mandados de busca e apreensão contra Câmara de Quixadá e ex-chefe de gabinete

- por
  • Compartilhe:

O Ministério Público deflagrou mais uma etapa da “Operação Casa de Palha” na manhã desta quinta-feira (30). Estão sendo cumpridos três mandados de busca e apreensão na Câmara Municipal de Quixadá e nas residências de Antônio Almeida Viana, em Fortaleza e em Quixadá. Ele é ex-chefe de gabinete da Câmara e um dos denunciados pelo órgão na última segunda-feira (27). As medidas foram autorizadas pelo juiz de Direito Adriano Ribeiro Furtado Barbosa, titular do 2º Juizado Auxiliar da 3ª Zona Judiciária, em respondência pela 3ª Vara de Quixadá.

A primeira denúncia oferecida pelos promotores no âmbito desta Operação está embasada na investigação da existência de crimes de fraude em licitações e outros ilícitos ligados à realização de obras de engenharia no município de Quixadá. Além de Antônio Almeida Viana, o Ministério Público também denunciou Francisco Ivan Benício de Sá, vereador e presidente da CMQ; Paula Renata Bento Bernardo, que é apontada pelo MP como funcionária-fantasma da CMQ; e Ricardo de Sousa Araújo, sócio da Construtora Araújo LTDA. No momento, Ivan e Renata encontram-se presos preventivamente; e Ricardo de Sousa é considerado foragido da Justiça. Eles são acusados dos crimes de peculato-desvio, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Após ser deflagrada em 24 de abril de 2019, a Operação Casa de Palha resultou na prisão temporária de Paula Renata Bento Bernardo, bem como de Felipe Brito de Sá e Jonatas Ferreira de Lima, ambos sócios da FJ Engenharia Assessoria e Serviços LTDA-ME. Além disso, foi preso preventivamente Francisco Ivan Benício de Sá, presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Quixadá, o qual foi igualmente afastado do cargo de presidente da Câmara e de vereador, pelo prazo de 180 dias, sem prejuízo dos respectivos vencimentos. Paula Renata Bento Bernardo foi igualmente afastada da função pública, pelo mesmo período.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.