Prefeito de Quixadá quer meter a mão do bolso da população ao tentar criar a taxa do lixo

- por
  • Compartilhe:

A partir desta segunda-feira (15), os quixadaenses podem ter que meter a mão no bolso para pagar mais impostos. Isto porque o prefeito de Quixadá, Ilário Marques (PT), enviou projeto de lei para a Câmara Municipal criando a famigerada “Taxa do Lixo”. O novo projeto do Executivo deverá ser votado na próxima segunda-feira (15) pelos vereadores, pois o petista pediu ao presidente da casa apreciação em caráter de urgência.

Lembrando que todos os munícipes já pagam o Imposto Predial e Territorial Urbano – IPTU, que, em tese, todo valor arrecadado deveria ser revertido para a manutenção dos serviços oferecidos pela prefeitura, dentre eles o da coleta do lixo. Em o projeto sendo aprovado, deixa claro a má utilização dos recursos geridos pelo Executivo, e ainda fará com que os quixadaenses paguem duas vezes pelo mesmo serviço.

Quixadá sofre com a falta de medicamentos nos postos de saúde, médicos estão com salários atrasados, ruas e avenidas estão completamente esburacadas, pacientes esperam meses para conseguir um simples exame, hospital em estado de penúria, entre vários outros graves problemas que afetam a população. E, agora, o gestor municipal parece incompetente ao gerir as contas públicas, quando acena com a possibilidade de criação dessa famigerada “Taxa do Lixo”. Além disso, o novo imposto é uma escolha errada que irá sufocar ainda mais a economia dos moradores de um município que padece com a falta de investimentos para geração de emprego e renda, o que faz com que a medida seja um escárnio do ponto de vista moral.

O Monólitos Post apurou que parlamentares como Luiz do Hospital, Cabo Marlin, Louro da Juatama, Evaristo Oliveira, Carlos Eduardo (Dudu), Marcelo Ventura, Marinêz Onofre e Cesar Augusto já se posicionaram contra a criação da “Taxa do Lixo”. Já os vereadores Darlan Piaba, Jessyca Severo, Guto da Glaudiesel, Neto do Custódio, Rosa Buriti, Dênis Dutra, Iranildo Bacurim, Zé Maria e Laércio Oliveira ainda não declararam como se posicionam em relação a criação de mais uma taxa. Ressalta-se que para a aprovação do projeto são necessários os votos de nove parlamentares.

Vale destacar que desde que a atual gestão assumiu, o “Lixo” virou assunto dos principais veículos de comunicação do estado, pois em agosto de 2018 o alcaide foi afastado pela justiça sob suspeita de receber propina do serviço de coleta urbana do município. Será que o “Lixo” irá novamente causar uma polêmica em Quixadá?

A falta de criatividade do gestor petista é gritante: A receita para aplacar as finanças públicas é sempre a mesma e quem paga a conta sempre é a população, que nos últimos meses tem se manifestado contra as ações do governo municipal, em ações que prejudicam a Terra dos Monólitos. Pela importância do projeto, muito provavelmente o plenário da Câmara Municipal de Quixadá, na próxima segunda, deverá ser palco de uma guerra entre a população e alguns parlamentares.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.