Através de dispensa de licitação, prefeitura de Quixadá aluga caminhão para transportar lixo por quase 400 mil reais

- por
  • Compartilhe:

O lixo têm sido a maior polêmica na atual administração do município de Quixadá. Além do prefeito Ilário Marques (PT) ter sido afastado a pedido do Ministério Público, em agosto de 2018, por suspeita de comandar esquema de desvio de verbas públicas do serviço de limpeza urbana, a administração tem contratado por altos valores, com dispensa de licitação, empresas para realizarem serviços para esta área.

No último dia 21 de agosto, a Secretaria de Trânsito, Cidadania, Segurança e Serviços Públicos publicou, no Diário Oficial dos Municípios, um extrato de dispensa de licitação para contratar empresa para locação de veículos com o objetivo de realizar os serviços de transbordo e translado do lixo coletado em Quixadá para levar até o aterro sanitário do vizinho município de Quixeramobim, um contrato no valor de  R$ 388.800,00 (trezentos e oitenta e oito mil e oitocentos reais) por apenas 90 dias, o que deixa a atividade mais cara, uma vez que a distância entre os dois municípios é de 42km.

O serviço de transbordo do lixo custa aos contribuintes mais de R$ 4.300,00 (quatro mil e trezentos reais) por dia para os cofres do município. O valor da dispensa daria para adquirir um caminhão para realizar o mesmo serviço do alugado. Além disso, este valor não daria para ser investido em outras áreas? Na Saúde, por exemplo, não seria mais válido usar o dinheiro para alugar cerca de 20 ambulâncias que transportaria os pacientes de diversas localidades para a sede do município e até mesmo para Fortaleza?

Vale lembrar que esta não é a primeira dispensa de licitação, na área, que assusta pelo valor. Em janeiro de 2017, a gestão petista contratou, de acordo com o portal da Transparência, uma empresa para executar os serviços de limpeza urbana no município, no valor de R$ 771.578,10 (setecentos e setenta e um mil, quinhentos e setenta e oito reais, e dez centavos). À época, a Prefeitura justificou que a dispensa de licitação foi necessária em virtude do caráter de emergência e em flagrante situação de risco pelo lixo acumulado na cidade.

Importante ressaltar que em novembro de 2017 a Gestão Municipal realizou um ato público para anunciar o “fim definitivo do lixão de Quixadá”.  Já em 2018, o sonho tornou-se decepção. O prefeito de Quixadá, Ilário Marques (PT), se envolveu numa polêmica relativa a uma grave denúncia feita pelo empresário Ernani Teles de Castro Júnior. De acordo com o empresário, o prefeito teria descumprido o contrato de R$ 80.000,00 por mês referente ao serviço de pegar o lixo de Quixadá e transportar para um aterro sanitário em Senador Pompeu. Como podemos observar, mesmo depois de todo escândalo, Ilário Marques resolveu aumentar o valor para esse tipo de serviço em mais de 50% (cinquenta por cento), e o pior, para transportar até o aterro de Quixeramobim que fica bem mais próximo que o de Senador Pompeu. Ou seja, diminuiu a distância e aumentou o valor.

Agora, os quixadaenses querem saber: Por que um valor tão elevado para o serviço de transbordo do lixo, já que a gestão está em seu terceiro ano e deveria estar com a coleta regularizada e organizada?

Abaixo você confere a publicação no Diário Oficial dos Municípios a dispensa de licitação milionária da Prefeitura Municipal de Quixadá.

 




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.