TV Monólitos: Vice-prefeito de Quixadá diz que Ilário Marques negou ajuda a Dom Adélio por politicagem

- por
  • Compartilhe:

O programa 970 Graus da TV Monólitos e da Rádio Liderança desta quinta-feira, 10, comandado pelo radialista Herley Nunes, entrevistou o vice-prefeito de Quixadá, João Paulo de Menezes Furtado. No bate papo, o político comentou que trabalha para o município e fez revelações dos bastidores da política local que demonstram como o prefeito Ilário Marques trata a Prefeitura de Quixadá. Para João Paulo, o petista trata a coisa pública como “extensão de sua casa”, perseguindo funcionários, quixadaenses e empresários locais tudo em busca de se manter no poder do Executivo local.

João Paulo informou que sente na própria pela a perseguição imposta pelo alcaide. “Desde que fomos eleitos, eu senti uma certa perseguição. Perseguição por que? Eu acho que quando você é convidado a ser vice-prefeito pelo grupo é porque vê tá somando… Ai você diz, perseguição com o que? Sendo tratado mal pela Chefia de Gabinete, sendo tratado mal pela Comunicação. para você ter uma ideia, isso em nenhuma entrevista eu nunca comentei, em janeiro de 2018, o prefeito, eu assumi não pelo afastamento dele, eu assumi porque ele foi para Europa com sua esposa e ele dispensou praticamente todo os secretários. Ele tentou ali, acabar comigo. mudou todos sistema neste período para não acontecer nada”, disse.

Ao citar que o prefeito trata a Prefeitura de Quixadá como “extensão de sua casa”, João Paulo comentou que até o carro que é pago para fazer o transporte do Chefe do Executivo municipal, veiculo custeado com recursos oriundos dos impostos pagos pelos quixadaenses, o petista trata como se fosse particular. “Eu sei que tinha uma carro a disposição do gabinete que ele andava, era uma Renegade preta e os carros da Prefeitura eles abastecem com um cartãozinho e quando ele foi me passar o carro, eu lembro que até a chefe de gabinete comentou: Ilário você tem que passar o carro para o João Paulo. O carro não era dele, o carro ta sendo pago com dinheiro público como uso do prefeito. O carro é do Executivo e eu passei quase 30 dias como prefeito em janeiro de 2018 e o carro, ele escondeu, quer dizer, ele não pode tratar a Prefeitura como a extensão da casa dele e é assim que ele vem fazendo, perseguindo as pessoas, sempre age com ditadura”, comentou.

O vice-prefeito também revelou que a politicagem praticada por Ilário Marques atrapalha o desenvolvimento do município, prejudicando empresários e os empreendimentos que colaboram com a Economia local. Ele citou a falta de iluminação na Avenida Antonio Moreira Magalhães onde transitam alunos que estudam numa faculdade particular que fica neste logradouro. De acordo com o João Paulo a iluminação não saiu do papel porque Dom Adélio, que na época era um dos administradores daquele estabelecimento de ensino superior, não é eleitor do petista. “Não tem a avenida Antonio Moreira Magalhães? Aquela avenida foi feita pelo Governo do Estado, através da emenda do deputado Antônio Granja. o Ilário e a Rachel ainda tentaram atrapalhar porque era um deputado de fora, ainda tentaram foi atrapalhar… E o governo se comprometeu em fazer a avenida e a Prefeitura a fazer a iluminação. Eu me lembro que desde o começo eu dizia: Ilário vamos iluminar essa avenida, fazer uma inauguração com a presença do governador, de todo mundo e ele sempre era contra a minha opinião porque ele dizia que o Zé Nilson não votava nele, nem Dom Adélio, nem o Fred e por ele ficava era apagado e eu dizia, que isso? Quantas pessoas estudam? Quantos empregos são gerados pela Cisne? foi um investimento de quase 15 milhões de reais”, falou.

João Paulo lembrou ainda que, mesmo sendo perseguido pelo alcaide, tem deixado as desavenças políticas de lado e buscado trabalhar em busca de benefícios para a Terra dos Monólitos. “Eu fui até o deputado Marcos Sobreira, pedi ajuda ao Salmito, ao deputado Bruno Gonçalves e fiz quatro pedidos: Um foi a iluminação da avenida (Antonio Moreira Magalhães), ali já houve estupro, já houve assassinato. Ali fica um breu à noite; Outro é o asfalto, a continuação da Plácido Castelo até a Fadat; Outro é lá o da Dakota e também a entrada do santuário. Eu sei que não vai sair tudo de uma vez, mas eu acho que tem que priorizar. Eu não quero saber se isso beneficia Ilário, isso beneficia é ao povo de Quixadá. As pessoas estão sofrendo como esta reportagem da Saúde que vocês mostraram. Essa é a minha preocupação. Eu estou todo dia trabalhando por Quixadá”, finalizou.

Abaixo você pode assistir o programa 970 Graus com a entrevista do vice-prefeito de Quixadá na íntegra.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.