EXCLUSIVO: Empresário preso na operação Casa de Palha faz delação premiada e deverá envolver políticos de Quixadá

- por
  • Compartilhe:

O empresário mantinha, até o o momento de sua prisão, estreita relação com o prefeito (Foto: Reprodução/Facebook).

O Monólitos Post obteve acesso ao documento em que Ricardo de Sousa Araújo formalizou o pedido de acordo de delação premiada com o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). O empresário foi preso preventivamente por ocasião da deflagração da operação “Casa de Palha”, que investiga crimes de fraudes em licitação na Câmara e na Prefeitura do município de Quixadá.

O depoimento do empresário deve permanecer em sigilo, mas é publico e notório que ele mantinha estreita ligação com vários agentes públicos da gestão comandada pelo prefeito Ilário Marques (PT). Ele era um dos integrantes de um esquema que executava as obras públicas no município, razão pela qual o resultado da delação poderá revelar grandes surpresas, pois novos personagens, como políticos influentes de Quixadá, podem surgir em decorrência do que Ricardo Araújo irá revelar para os promotores de justiça.

O empresário mantinha, até o o momento de sua prisão, estreita relação com o prefeito e com o presidente da Câmara Municipal de Quixadá, Ivan Construções, que também se encontra preso preventivamente. Ivan e Ricardo eram parceiros empresarial para execução das obras no município. Além deles, de acordo com o MPCE, o genro do alcaide figura entre um dos chefes do esquema, que chegou ao fim com a operação Casa de Palha. Inclusive, nas últimas eleições municipais, em 2016, o empresário Ricardo Araújo e a família não mediram esforços para eleger o atual chefe do Executivo quixadaense.

Enquanto o empresário se encontra na prisão, outros agentes públicos, que realmente se beneficiaram de um elevado volume de dinheiro desviado dos cofres públicos de Quixadá, continuam soltos e no comando de cargos da municipalidade como se nada tivesse acontecido.

A corrupção no município de Quixadá começou a ser revelada antes da operação “Casa de Palha”, ainda em uma ação anterior do Ministério Público, a operação “Fiel da Balança”, que levou ao afastamento do prefeito Ilário Marques, que de acordo com o órgão comandava um esquema de propina oriundo dos serviços de coleta de lixo na Terra dos Monólitos.

Agora, a deleção premiada do empresário poderá fazer com que outros nomes da política e envolvidos com políticos saiam do silêncio conivente da impunidade e sejam, assim como ele e o presidente do Legislativo, presos. Com as novas revelações, o Ministério Público intensificará suas ações de combate a corrupção em Quixadá.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.