Sem aulas, vereador de Choró solicita que Prefeitura do Município doe alimentos da merenda escolar a pessoas carentes

- por
  • Compartilhe:

A Câmara do município de Choró, um dos menores do Sertão Central cearense, dá exemplo a outros de mesmo porte. É que o vereador Fabiano Cabral, tendo em vista a paralisação das aulas da rede municipal de ensino, solicitou à Prefeitura que doasse os alimentos da merenda escolar as pessoas mais carentes. 

O parlamentar fez a solicitação porque a merenda escolar estocada poderá ter seu prazo de validade vencido, uma vez que as aulas não têm previsão de retorno em decorrência da pandemia de COVID-19 que tem afetado todo mundo. O vereador justifica que “com as aulas também suspensas, propus a Administração Municipal a distribuição da merenda escolar entre os alunos que, por hora, estão impossibilitados de frequentar a escola, visto que 80% da nossa população compõe o grupo de baixa renda e nesse período (ainda sem a colheta do período invernoso) muitas famílias passam dificuldades no que diz respeito a alimentação”, destacou.

Fabiano Cabral lembrou, ainda, que este é o momento de solidariedade e de ajudar as pessoas no difícil momento de quarentena por qual passa o país. “Considerando que a merenda escolar encontra-se nos depósitos da prefeitura ou cantinas das escolas, e são alimentos que tem prazo de validade seria uma atitude acertada da administração, visto que ela atenderia justamente a clientela para a qual a merenda foi adquirida. Além do mais a alimentação chegaria em um bom momento nos lares das crianças, proporcionando as famílias a possibilidade de cumprir a quarentena conforme orientação das autoridades estaduais”, disse. 

O vereador tomou a atitude no momento em que a  Câmara Municipal de Choró está em recesso e sessões presenciais devido ao período de quarentena que visa conter o avanço do COVID-19 no estado do Ceará. A casa legislativa tem como previsão os retornos dos trabalhos no mês de abril.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.