Em plena pandemia de coronavírus, prefeito de Quixadá pretende gastar mais de R$ 2,5 milhões em eventos

- por
  • Compartilhe:

Grande parte das administrações públicas municipais do país estão investindo tempo e dinheiro para ajudar as possíveis pessoas infectadas pelo coronavírus. Em Quixadá, a Prefeitura vai fazer diferente, não mede esforços para a realização de eventos, estimulando a aglomeração de pessoas e irresponsavelmente ajudando na disseminação da doença, já que o ambiente será propicio para transmissão do COVID-19. Mas, não apenas isto é de espantar, mais escandaloso ainda é o valor: R$ 2,5 (Dois milhões e quinhentos mil reais). Sabe onde esse dinheiro poderia ser investido, neste período de pandemia? Na Saúde dos munícipes, pois, como a prefeitura não conseguiu nenhuma verba destinada aos eventos por parte do governo federal ou estadual, todo esse dinheiro deverá sair do fundo geral da prefeitura e poderia ser alocado em qualquer área.

Com uma saúde na UTI, o município de Quixadá já foi destaque nos principais veículos do estado por ter um hospital caindo aos pedaços. Além disso, desde que a atual gestão, comandada por Ilário Marques (PT), assumiu a Prefeitura é “figura cativa” no Devedômetro do Sindicato dos Médicos, pois sempre deixa o salário desses profissionais atrasar. Será que o dinheiro desses eventos não daria para preparar a Terra dos Monólitos para atender os pacientes da saúde com eficiência e humanidade? O COVID-19 mostra para o resto do estado que Quixadá vive uma situação preocupante é delicada, pois não está preparada para atender aos pacientes afetados pela doença. Até um simples exame para detectar esta enfermidade demora vários dias. Como começar a tratar a doença se não há um diagnóstico rápido?

Nestas horas, é importante levar em consideração a falta que o investimento em festas fará falta na Saúde. O que é essencial? Por que investir tanto dinheiro em eventos que pela quarentena não era para acontecer? Por que a gestão ignora a quarentena para realizar uma festa? Dúvidas que aumentam pela atitude da gestão nos últimos dias, porque enquanto ela prega o isolamento social para população, na prática, não tem preservado nem a vida dos próprios prestadores de serviços e nem a dos servidores. Apenas as escolas paralisaram atividades. Ainda durante esta semana, uma senhora gravou um vídeo criticando a Prefeitura por permitir homens trabalhando em pleno centro da cidade, quando a recomendação da própria administração é a de ficar em casa, ou seja, façam o que eu digo, mas não o que eu faço.

A Prefeitura de Quixadá estimula a aglomeração, também, ao anunciar que vai realizar uma seleção pública simplificada para agentes de segurança e auxiliar de serviços. Estranho não apenas o momento da realização do processo seletivo, mas também o tipo de profissional que vai ser contratado, uma vez que a gestão usa a pandemia do COVID-19 como justificativa para contratação e realização da seleção.

Em relação ao Pula Fogueira, a festa está prevista para o final de maio e terá como atração principal uma banda que vai custar aos cofres públicos R$ 220.000,00, além de outras atrações e toda a estrutura para realização do evento, que não dura mais de quatro dias.

Resta aos quixadaenses esperarem pela realização da festa, enquanto isso Saúde não suportará atender os possíveis casos da doença no município e nem poderá contar com R$ 2,5 milhões que poderiam ser investidos em equipamentos que durariam um bom tempo servindo à população.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.