ASSISTA: Repórter da TV Jangadeiro denuncia que, com delivery proibido em Quixadá, dono de restaurante vende máscaras para sobreviver

- por
  • Compartilhe:

O decreto 25/2020 da Prefeitura de Quixadá, que estabeleceu um zona especial de combate à proliferação do coronavírus, impôs aos comerciantes algo inédito no país: A proibição do delivery, conforme já havia noticiado o Monólitos Post. O Repórter Nilson Fagata, da TV Jangadeiro veio, na manhã da última sexta-feira (22), a Terra dos Monólitos para mostrar a situação vivida pelos comerciantes.

Em vídeo divulgado em seu Instagram, o repórter entrevista várias pessoas, dentre elas um proprietário de um restaurante, no centro da cidade, que informou que precisa vender máscaras para sobreviver, já que o serviço de delivery é proibido de 7h às 15h, que abrange o período da venda de almoços, mas que não como comercializar por conta da proibição do serviço de entrega no horário determinado pelo prefeito Ilário Marques (PT).

A situação foi caracterizada por Nilson Fagata como um “indigesta”. Ele perguntou ao comerciante: “Por que você não está no sistema delivery?” O dono do restaurante prontamente responde que “Por conta do decreto que só funciona a partir das 15h da tarde nos prejudicando”.

Parecendo não acreditar no que ouviu, o repórter refaz a pergunta de uma forma mais clara: “Ou seja, não pode haver delivery na hora do almoço?”. Prontamente, novamente, o comerciante diz  “não, não, infelizmente, contra o nosso oficio, que vendemos almoço”.

Um outro entrevistado mostra sua indignação como a situação do comércio de Quixadá, informando o horário de proibição do serviço de delivery no município. “Além de fechar o comércio, a Prefeitura proibiu de 7h às 15h de fazer delivery”, disse o homem.

A reportagem realizada por Nilson Fagata foi exibida na programação da Jangadeiro na última segunda-feira (25). Abaixo você assiste a postagem do repórter nas redes sociais.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.