Há quatro anos, Quixadá chorava pela partida de três PM’s que tombaram em defesa da sociedade

- por
  • Compartilhe:

Era fim de tarde de uma quinta-feira, 30 de junho de 2016, e o barulho de sirenes de ambulâncias e viaturas davam o tom de que uma tragédia havia acontecido no município de Quixadá. Três policiais militares acabaram sendo mortos em serviço, durante uma troca de tiros com bandidos no distrito de Juatama, zona rural do município.

O sargento Francisco Guanabara Filho, o cabo Antônio Joel de Oliveira Pinto e o soldado Antônio Filho foram covardemente executados com vários tiros ao serem chamados para atender uma ocorrência que dava conta de que uma quadrilha fortemente armada preparava-se para assaltar um carro-forte na região. Além dos três policiais mortos, um quarto militar também acabou sendo atingido pelos disparos, mas sobreviveu e uma PM levada de refém pelos bandidos, mas liberada logo em seguida.

Naquele dia, o luto e a tristeza tomaram conta não só de Quixadá, mas de todo o Ceará. Veículos de comunicação de todo o estado estiveram por aqui, noticiando aquele triste acontecimento que acabara de acontecer e que jamais seria esquecido.

Hoje, 30 de junho de 2020, quatro anos depois daquele triste dia, restam as boas lembranças vividas ao lado dos três militares que infelizmente se foram e a saudade que ainda sufoca o peito dos familiares e amigos. A todos eles, a nossa solidariedade e agradecimentos por todos os relevantes serviços prestados a sociedade pelo Sargento Guanabara, Cabo Joel e Soldado Antônio Filho, ainda em vida.

Eternas Saudades.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.