Hospital Regional do Sertão Central já realizou quase 40 mil atendimentos e 17 mil cirurgias em cinco anos de funcionamento

- por
  • Compartilhe:

Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), localizado em Quixeramobim, unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) gerida pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH), completa cinco anos de serviços prestados à população neste domingo (26). Atendendo a casos de alta complexidade, o hospital já realizou, de setembro de 2016 a julho de 2021, 39.536 atendimentos ambulatoriais, 102.350 exames de imagem, 881 mil análises clínicas, 5.271 exames histopatológicos (biópsias), 16.973 procedimentos cirúrgicos, além de 21.217 internações.

Para o diretor-geral do HRSC, Marcelo Theophilo, o hospital teve muitos avanços desde a sua abertura. “Em cinco anos, nós já temos um título de Acreditação Internacional. Isso é muito relevante. A forma como todos os serviços foram implementados foi planejada para que a gente fizesse com a máxima eficiência e o menor dispêndio de recursos. Hoje, este hospital é um patrimônio do cidadão cearense, especialmente do cidadão da Região do Sertão Central”, afirma.

A unidade tornou-se referência pela qualidade e excelência nos serviços prestados à população. É o primeiro hospital público da América Latina a receber a certificação Nível Ótimo no processo de Acreditação realizado pela Agencia de Calidad Sanitaria de Andalucía (ACSA). O HRSC também foi um dos únicos hospitais estaduais certificados em 2020 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) por alcançar 100% de conformidade com os indicadores de práticas de segurança do paciente.

Para a ex-paciente Beatriz Duarte, 23, portadora de distrofia muscular, os dias vividos no HRSC podem ser definidos em uma palavra: gratidão. Ela passou um ano e quatro meses internada no equipamento até receber alta, em janeiro de 2020. “Sou grata por vocês me darem expectativa de vida, por me darem mais uma chance de voltar ao meu lar e estar com minha família, e por me mostrarem o quanto o meu problema é pequeno diante do [problema do] próximo. Vocês me deram a oportunidade de recomeçar do zero, mas acreditando no amor e na esperança de que dias melhores virão”, conta a jovem.

Referência

O HRSC tornou-se referência em cirurgia (geral, traumatologia, neurocirurgia e obstetrícia) para a região do Sertão Central. O hospital também é referência no atendimento ao Acidente Vascular Cerebral (AVC) agudo e subagudo. Desde 2018, quando a unidade foi inaugurada, já foram atendidos 2.272 pacientes com suspeita da complicação.

A unidade é, ainda, parte integrante do Programa Angels Awards. Desde que entrou no projeto, o HRSC já recebeu seis certificações no atendimento a casos de AVC, sendo quatro na categoria platinum e duas certificações diamante, categoria de reconhecimento máximo dentro do Angels. A premiação reconhece o compromisso de hospitais e profissionais comprometidos com a qualificação do atendimento do paciente com AVC e com o estímulo à cultura de monitoramento de indicadores.

Segundo Theophilo, são mais de 661 mil pessoas que são beneficiadas pelo equipamento de saúde. “São pessoas que antes precisavam se deslocar a Fortaleza e agora não tem mais essa necessidade. Deslocar-se para a Capital não é um problema em si, mas para algumas pessoas fica inviável. Então, esse hospital representa um divisor de águas. Tanto que hoje a gente já vislumbra o fluxo invertido. Hoje, nós recebemos, aqui no Sertão Central, pacientes de outras regiões e até de Fortaleza”, pontua o diretor.

“É fundamental que os cidadãos cearenses se apropriem dessa rede de assistência que está se consolidando com a Plataforma de Modernização da Saúde. Uma unidade como o HRSC é fundamental para tornamos possível a realização do planejamento da Sesa e do Governo do Estado, que visa estabelecer uma rede complexa para proporcionar atendimento de qualidade à população em todas as regiões e áreas descentralizadas”, destaca o secretário da Saúde do Ceará, Marcos Gadelha.

Inovação

Para os próximos anos, o HRSC deve integrar o Distrito de Inovação em Saúde de Quixeramobim, programa que objetiva a promoção de inovações econômica, urbana e social, buscando fomentar a conectividade e o empreendedorismo, além do desenvolvimento científico e tecnológico no Estado. Entre os benefícios do programa, estão as implementações das faculdades de Medicina e Enfermagem na região.

“Nesses cinco anos, podemos dizer que o hospital está implantado. Agora, começa a nova batalha, que é o desenvolvimento do equipamento em si, que precisa ser consolidado, e isso vai depender muito da região acompanhar esse desenvolvimento. Hoje, nós ainda dependemos muito de profissionais contratados em outros centros, na Capital ou em outras cidades do Interior. Mas, certamente, é um desafio para toda a região formar e disponibilizar o profissional adequado para esse equipamento. Toda uma cadeia econômica se desenvolveu em torno do hospital. A cidade se desenvolveu, aumentou a oferta de serviços para a população. Então, isso tudo trouxe um desenvolvimento absurdo aqui para região e agora está na hora de consolidar isso e avançar”, ressalta o diretor-geral.

Programação de aniversário

Seguindo todos os protocolos sanitários, a programação de aniversário do HRSC inclui jogos esportivos (25 e 26/9), almoço e jantar festivo para colaboradores e acompanhantes (26 e 27/9), missa (27/9) e culto (28/9), Seminário de Gestão e Inovação em Saúde (28 e 29/9), descerramento da placa da Acreditação da ACSA (30/9) e uma sessão solene na Câmara Municipal de Quixeramobim (30/9).

Segundo o diretor de Gestão e Atendimento do HRSC, Elisfabio Brito Duarte, “esse momento de celebração dos cinco anos do hospital é a confirmação do fato de que, quando grandes gestores encontram-se com grandes equipes, mediados por um grande projeto, o resultado é o sucesso para as organizações e o bem para as pessoas. Estamos celebrando o presente, construindo o futuro e fazendo a história”.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.