Polícia Civil captura foragido da Justiça acusado de dois homicídios praticados em Quixadá

- por
  • Compartilhe:

Uma ação da Delegacia Regional de Polícia Civil de Quixadá conseguiu tirar de circulação mais um foragido da Justiça, dessa vez pelo crime de homicídio. Esse foi o 17º infrator capturado apenas neste mês de outubro.

Francisco Welington Ferreira da Silva, vulgo “Nego”, 47 anos, possuía contra si um mandado de prisão em aberto pela morte de Susana Guerreiro Lira, 23 anos. Ela foi assassinada a pauladas no dia 8 de maio de 2011, no bairro Monte Alegre, em Quixadá. Ele também havia sido indiciado por outro crime de morte, o assassinato do coveiro Antônio da Silva Almeida, 60 anos. O crime ocorreu no dia 24 de julho deste ano, na localidade de Serra Preta, na zona rural do município.

“Nego” foi preso na Vila Brasília, periferia da cidade de Banabuiú e confessou o assassinato do coveiro. Alegou que discutiram durante uma bebedeira, ocasião que esfaqueou a vítima. Ele havia fugido para a cidade vizinha com o intuito de evitar sua prisão. Disse ainda que estava trabalhando como pescador, mas recentemente sofreu um acidente quando pilotava sua motocicleta. Foi preso no seu atual domicílio.

A investigação da Polícia Civil constatou mais fatos: a vítima era ex-padrasto de Nego; a motivação do crime foi passional; o autor confesso estaria com ciúmes do padrasto em razão de ele estar dando presentes à sua esposa, causando ciúmes.

De acordo com o delegado regional da Polícia Civil, William Lopes, a colaboração da comunidade, com denúncias anônimas apontando o paradeiro do foragido da Justiça, foram cruciais ao êxito da sua prisão. “Já estamos solicitando à Justiça da Comarca de Quixadá a prisão preventiva de Francisco Wellington, e como já havia outro mandado de prisão em desfavor dele, nossa equipe foi a campo e inclusive localizou a faca utilizada neste último crime”, ressaltou.

Assista abaixo o exato momento da prisão do acusado.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.