Justiça condena réu que matou a companheira a pedradas e depois furtou celular da vítima para olhar mensagens

- por
  • Compartilhe:

A Justiça acolheu as teses do Ministério Público do Estado do Ceará e sentenciou nesta quarta-feira (22), em Júri realizado na comarca de Tabuleiro do Norte, o réu Rafael Dias Chaves pelos crimes de feminicídio triplamente qualificado e furto. Na zona rural de São João do Jaguaribe, ele assassinou a companheira na frente da filha do casal e, na sequência, furtou o celular da vítima para verificar as mensagens. O réu foi condenado a 24 anos e 9 meses de reclusão pelo feminicídio e a um ano e 15 dias por furto, totalizando 26 anos, um mês e 15 dias de pena. A acusação foi feita pelo promotor de Justiça David Dias de Castro Machado.

Os crimes aconteceram no dia 18 de janeiro de 2023, por volta das 7h30min, no Sítio Pacheco, zona rural de São João do Jaguaribe. Consta nos autos que o réu, suspeitando de traição, após uma discussão atingiu a vítima com uma pedra de concreto por pelo menos duas vezes. S.F.S. foi a óbito na presença da filha, à época com cinco anos de idade. Após as agressões, o réu subtraiu o celular da vítima para verificar com quem ela conversava. Por volta das 12h, Rafael Dias Chaves furtou uma moto para ir até a casa de seu genitor e se esconder. No mesmo dia do crime, ele foi apreendido e não negou a autoria do feminicídio à autoridade policial.

O feminicídio foi triplamente qualificado pelo fato de o réu ter assassinado a companheira com pedradas na cabeça em frente a filha de 5 anos de idade, que gritou para o pai não matar a mãe. O furto do celular ocorreu para o réu verificar as mensagens no aparelho, pois estava com ciúmes da vítima.




Deixe seu comentário

Os comentários do site Monólitos Post tem como objetivo promover o debate acerca dos assuntos tratados em cada reportagem.
O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.